Vamos Tentar Reduzir o Açúcar?

Confesso-me como uma fã de coisas doces e o meu desafio pessoal tem sido reduzir a quantidade de açúcar na minha alimentação.

O açúcar é uma substância vazia de nutrientes, muito calórica e como tal responsável pelo aumento de peso. Se fosse só por isto eu nem me preocupava muito, uma vez que sou magra e não tenho tendência para engordar. Mas os perigos do açúcar vão muito para além desta questão do peso. Só o facto de aumentar a gordura corporal, principalmente a abdominal, o consumo de açúcar pode desencadear vários fatores de risco ao coração, como níveis de colesterol elevado, resistência à insulina, diabetes, hipertensão, podendo ser a origem de enfartes e AVCs. Para além disso é um grande agravante no processo de aceleração do envelhecimento e, o mais perigoso, é que pode contibuir para o aparecimento de cancro. Há ainda uma série de maleitas menos graves que podem ser despoletadas pela ingestão de açúcar como dores de cabeça, irritabilidade, problemas de visão, cáries dentárias, problemas digestivos, entre muitos outros.

acucar-veneno

O consumo de açúcar tem vindo a aumentar ao longo dos anos e tem-se provado que o açúcar é um vício tal como o álcool, o tabaco ou qualquer outra droga. Pode mesmo ser identificado como uma substância tóxica para o organismo. Quanto mais se consome mais necessidade se tem de consumir e em quantidades cada vez maiores. Isto porque a sensação de bem-estar momentânea gerada pelo consumo de açúcar é captada pelo cérebro e, quando esta sensação termina, somos obrigados a ingerir mais acúcar para repetir a experiência.

Mas o que é o açúcar? O açúcar é uma substância proveniente da cana de açúcar, sendo classificada como sacarose. Depois de extraído o caldo da raiz e, posteriormente, os flocos de açúcar, obtém-se o açúcar mascavado, que é por isso a versão “bruta” do açúcar. A partir daí, se o tratamento continuar, a substância passa por um processo químico de refinamento e branqueamento, gerando o conhecido açúcar branco. Assim como acontece com quase todos os alimentos integrais, em termos de calorias, o açúcar mascavado não apresenta uma vantagem muito grande em comparação ao refinado. Contudo, a primeira opção possui nutrientes, vitaminas, fibras e minerais, sendo por isso preferível ao açúcar branco. No entanto, devo frisar que mesmo o açúcar mascavado deve ser evitado/reduzido, uma vez que não é o processo de refinação do açúcar que o torna especialmente perigoso mas sim a sua composição e a forma como é metabolizado pelo organismo.

Há outras opções para adoçar com índices glicémicos mais baixos, menos acidificantes para o organismo e consequentemente menos perigosas para a saúde do que o açúcar refinado. Saliento as seguintes:

– Geleia de Agave: Tem um baixo índice glicémico mas é rica em frutose, por isso não deve ser usada em demasia.
– Mel: Tem propriedades terapêuticas, é rico em antioxidantes mas tem um índice glicémico elevado, sendo muito calórico.
– Açúcar de Côco: Tem um baixo índice glicémico mas também é calórico. O preço é elevado.
– Stévia: Sem índice glicémico nem valor calórico. Tem alto poder adoçante. Ainda está por provar se tem impacto negativo na saúde.
– Geleia de Arroz: Apresenta um grande teor de hidratos de carbono complexos, que são absorvidos lentamente, o que proporciona saciedade. É bastante calórico.

Não há um melhor adoçante, tudo depende da pessoa em questão. Para as crianças talvez escolhesse o mel ou a geleia de arroz. Para as pessoas com uma vida bastante ativa a geleia de agave ou o açúcar de côco são boas opções. Para as pessoas diabéticas escolheria a stévia.

Contudo, estes adoçantes também devem ser consumidos com moderação. O ideal é criarmos hábitos saudáveis como deixar de adoçar o chá ou o café, usar a fruta para adoçar as papas, os batidos e os iogurtes ou tentar fazer bolos/doces sem adição de açúcares (ver por exemplo estas barritas de aveia). Com o tempo começamos a sentirmo-nos mais leves e com muito mais energia. E para mim essa sensação de bem-estar compensa tudo.

Parece que o famoso cozinheiro Jamie Oliver também já se apercebeu do perigo do açúcar, vejam aqui.

Quem alinha no desafio?

  • Teresa Dias

    A minha filha está mesmo uma perita em alimentos saudáveis e obrigada pela dica de outros substitutos do açúcar que alguns conhecia e outros não. A minha sorte é que não sou muito fã de coisas doces. Adoro mais petiscos.. Adoro a maneira como escreves e os conselhos que dás, qualquer dia estás a escrever um livro sobre dicas de receitas vegetarianas!!! Bj

    • Maria

      Obrigada Mãezinha! 🙂 Bjs.