Crumble de Maçã Saudável

O Verão parece que ainda não nos quer deixar. Que bom… Não temos os dias tão longos mas o bom tempo continua. Já disse que, por mim, era Verão todo o ano, certo?

Mesmo assim, apeteceu-me um aconchegante crumble de maçã… Adoro crumble de maçã!!!! Claro que a versão original, com farinha branca, açúcar e manteiga, não passa nos meus requisitos.  Por isso tive de criar uma versão igualmente saborosa mas bem mais saudável. Curiosos? Então aqui fica a receita. Espero que gostem.

Sugestão: Este crumble faz um lanche maravilhoso, juntando iogurte, manteiga de amêndoa e romã (e as primeiras romãs do ano já começaram a aparecer!). Mas podem saboreá-lo com qualquer outro topping ao vosso gosto. Dividam logo o crumble em 4 caixas (idealmente de vidro com tampa), depois na altura é só aquecer e colocar os ingredientes extra. E já está, lanche pronto!  🙂

Continue reading

Bolo Desperdício Zero

Tanto se fala de alimentação saudável nos dias de hoje… Mas o que é então uma alimentação saudável? Para mim é aquela que nos proporciona saúde, energia, boa-disposição, evolução interior e que nos permite contribuir para um planeta melhor.

É engraçado como normalmente começamos a mudar a nossa alimentação com um objetivo específico: perder peso, ganhar vitalidade, resolver algum problema de saúde… Mas com o tempo apercebemo-nos que a mudança alimentar teve muito mais consequências do que apenas alterar aquilo que colocamos no nosso prato. Os alimentos que ingerimos interferem não só com a saúde do nosso corpo físico como também mexem com as nossas emoções. Alteram a nossa personalidade, o nosso modo de viver e de encarar a própria vida. Ao adotarmos uma alimentação mais saudável tornamo-nos mais alertas para os problemas de sustentabilidade ambiental. Tornamo-nos pessoas mais conscientes. É tudo isto de forma natural…

Eu posso dizer que estes conceitos de proteção do ambiente e redução da pegada ecológica passaram a estar enraízados em mim. Ainda no outro dia o meu marido me dizia para tapar um prato de comida que tinha sobrado com aquele rolo plástico de cozinha e não estava a perceber porque é que preferi tapar de outro modo. Não consigo ir a restaurantes e pedir uma garrafa de água, se esta for de plástico. Se não tiver a minha garrafa de água na mala, peço um copo de água (com a vantagem que ainda fica mais económico! 🙂 ). Se me esqueço dos meus sacos de compras, prefiro não comprar nada a ter de trazer um novo saco. Quando eventualmente compro alguma coisa mesmo necessária que venha numa embalagem, ou utilizo a embalagem para outros fins ou devolvo à loja para que a voltem a utilizar. Em relação aos alimentos, nada se estraga nem deita fora na minha cozinha. A comida que sobra é sempre utilizada nas refeições seguintes ou reutilizada em novos pratos. Quando acabamos de comer não deixamos nada no prato, nem um simples grão de arroz (mais vale tirarmos pouco de cada vez e, se quisermos, repetir). As cascas das frutas servem para fazer águas aromatizadas e as polpas das frutas/legumes que restam dos sumos naturais são utilizadas para fazer hambúrgueres, bolachas ou bolos.

Bolos, assim como este… Um bolo que por acaso foi feito com a polpa das frutas e legumes que sobrou do meu workshop. 🙂 Na altura congelei e quando me apeteceu foi só tirar e usar. Cenoura, beterraba, laranja e maçã… Deu um bolo húmido muito agradável. Não é o melhor nem o mais bonito bolo do mundo… mas é muito saudável e saboroso… e deixa-nos invadidos por uma enorme sensação de bem-estar.

Sugestão: Experimentem colocar o bolo numa taça e por cima deitar fruta fresca, iogurte e frutos secos. É um lanche perfeito!

Continue reading

“Cheesecake” de Manga

É uma das minhas frutas preferidas, a manga. Quando era pequena não gostava, dizia que sabia a sabonete. 🙂 Só mais tarde percebi que isso acontecia porque provavelmente comia sempre mangas que ainda não estavam maduras. E uma manga bem madurinha, é aquela maravilha… Como os meus filhotes também adoram, decidi inventar uma sobremesa crua que usasse manga e eis o resultado. Um fantástico “cheesecake” de manga, sem açúcar e rico em proteína, devido ao uso do tofu. Confesso-vos que não estava esperançada com o resultado, porque não sei bem escolher mangas e a que comprei ainda não estava no ponto, mas posso dizer-vos que os miúdos ADORARAM! Ou seja, é decididamente uma sobremesa a repetir, para a próxima com uma manga um pouco mais docinha. Nestes dias mais quentes, sabe mesmo bem uma sobremesa assim, crua, fresquinha, cheia de sabor…

E já agora deixo-vos, como curiosidade, alguns dos benefícios da manga para a nossa saúde:

– Fonte de antioxidantes
– Alcalina
– Rica em fibra
– Rica em vitaminas (A, C, E e B6)
– Rica em ferro e potássio

Por tudo isto a manga é anticancerígena, melhora a digestão, impulsiona o sistema imunológico, promove a diminuição do colesterol mau, melhora a saúde da pele, melhora o humor e ajuda a controlar o stress. Muito bom, certo?

Continue reading

Bolachas de Amêndoa e Coco

Eu era uma espécie de monstrinha das bolachas em criança… Adorava bolachas!!! Lembro-me de ter para aí uns 8 ou 9 anos e ir, em visita de estudo com a escola, à fábrica de bolachas da Nacional.  Vim de lá com um saco cheio de pacotes de bolachas, 1 de cada tipo que eles tinham na altura. E feliz da vida… Tão feliz que nunca mais me esqueci desse dia. 🙂

Ora a realidade mudou um pouco. Continuo a gostar (muito!) de bolachas mas tenho agora consciência dos erros cometidos na alimentação das crianças há uns anos atrás. As bolachas industriais não são de todo um alimento que eu deseje incluir na alimentação dos meus filhos numa base diária, não só pela quantidade de açúcar e aditivos que contêm mas também pela ausência de ingredientes que alimentem de verdade. Assim sendo, e tendo em casa dois pequenos monstros das bolachas (quem sai aos seus…), tenho que me safar de outra forma e fazer regularmente bolachinhas caseiras. Como normalmente o tempo é apertado, costumo inventar receitas rápidas, com poucos ingredientes, em que não precise de esticar com o rolo da massa. Estas bolachinhas foram a minha última invenção e saíram tão boas que foram devoradas num abrir e fechar de olhos. Até o M. que não é o maior apreciador de coco se rendeu ao seu sabor. E são mesmo fáceis de fazer: triturar, mexer, fazer bolinhas, achatar e já está! O forno termina o trabalho enquanto um cheirinho maravilhoso nos enche a casa de conforto.

Eu sei que estamos no verão mas bolachinhas destas são sempre bem-vindas, não é verdade? Experimentem!

Continue reading

Tarte de Maçã para o dia da Mãe

Hoje é dia da Mãe… Que para mim (e acho que para todas as mães) é todos os dias! Mas como hoje é comemorado oficialmente, aqui deixo um grande beijinho à minha mãe e a todas as mães do mundo. ❤️

Ser mãe foi a melhor coisa que me aconteceu. Mas nem sempre tive esta noção tão clara, passei momentos conturbados em que cheguei a duvidar se teria capacidade para o ser. Foi preciso uma tomada de consciência para eu perceber que as dificuldades que estava a sentir tinham uma razão: fazer-me descobrir quem sou e evoluir. Ser mãe permitiu-me iniciar o meu caminho de desenvolvimento pessoal, abriu-me os olhos para mudar o que não estava bem em mim, permitiu-me descobrir a minha missão neste mundo. E por isso só tenho a agradecer aos meus filhos que, ao me desafiarem diariamente, com a suas personalidades tão diferentes, conseguem mostrar-me sempre por onde devo seguir.

Deixando agora os desabafos de lado… 🙂  Hoje trago-vos uma maravilhosa tarte de maçã, que pode ser comida por toda a família, bebés, miúdos e graúdos. É muito simples, rápida de fazer e
tão saborosa. E já nem preciso de dizer que não tem leite, açúcar ou farinhas refinadas, certo? Uma alternativa muito saudável aos bolos comprados e processados. Cá em casa somos todos
fãs, o que se prova pela velocidade com que a tarte desaparece. 🙂 Eu adoro comê-la ao lanche, morna, com iogurte e fruta fresca. Consegui abrir-vos o apetite? Então experimentem! Ainda vão a tempo de fazer para o lanche!

Feliz Dia da Mãe!!!

Continue reading

Pão Integral de Banana e Tâmaras

Tem estado frio nestes últimos dias… Sei que mesmo assim não me posso queixar, isto não é nada face ao que se vive em outros locais do mundo. Ainda por cima porque o sol insiste em não nos abandonar e continuamos com dias muitos bonitos e cheios de luz. Mas eu sou muito friorenta, estou sempre a sonhar com o verão e temperaturas abaixo de 10 graus desmotivam-me um bocadinho… 🙂

A solução é mesmo encontrar outras formas de conforto… Estar no sofá debaixo da manta, apanhar o sol bom que entra pela janela da minha sala, receber abraços quentinhos dos meus filhotes e claro, muito chá ou leite morno acompanhados por qualquer mimo mais doce (mas sempre saudável, claro!).

Como a minha filha é a fã número 1 de tâmaras, vi esta receita e achei por bem experimentar. É um pão doce parecido com este que já tinha feito mas com outros sabores. E é claro que gostei muito do resultado. Para além de ser um pão super saudável, pois não tem farinhas refinadas nem glúten (se usarmos aveia isenta de glúten), tem um sabor muito agradável e a consistência perfeita para nos reconfortar. E fica MARAVILHOSO torrado com manteiga de amêndoa (o meu vício ultimamente). Ideal para estes dias de inverno…

E quais são as vossas técnicas para ultrapassar o inverno? Não querem experimentar este pão de banana?

Continue reading

Papas para Bebés (Parte 1): Papa de Aveia com Maçã e Erva Doce

Assisto frequentemente às dúvidas dos pais sobre que papas dar aos seus bebés quando estes começam a introduzir os alimentos sólidos, entre os 4 e os 6 meses de idade.

Acredito que muita gente, sobretudo os pais de 1ª viagem, siga à risca a recomendação dos pediatras (também o fiz), que ainda sugerem as papas que se vendem na farmácia ou nas grandes superfícies, muitas vezes como primeiro alimento após o leite. Ora estas papas estão carregadinhas de açúcar, o que para além de ser nocivo à saúde dos bebés, ainda os vai viciar no sabor doce e fazer com que seja bem mais difícil a adaptação a outros alimentos, sobretudo os que têm um sabor diferente, como as sopas (essas sim saudáveis para os bebés).

A alimentação no primeiro ano de vida é fundamental, não só para o correto crescimento e desenvolvimento do bebé como para a criação de hábitos alimentares saudáveis durante toda a vida, desde a infância até à idade adulta. E por isso achei que devia ajudar os pais nesta tarefa, nem sempre fácil nos dias de hoje, especialmente porque há muita oferta e a falta de tempo faz com que seja muitas vezes tomado o caminho mais fácil.

A minha recomendação: Não dar papas compradas aos bebés! Vamos analisar os rótulos das 3 marcas mais conhecidas de papas:

Com maior ou menor variedade de cereais, com ou sem glúten, todas têm cerca de 30% de açúcar na sua composição! Não sei se têm noção disso, mas é imenso! A recomendação, tanto para crianças como para adultos, é de evitar alimentos com mais de 8g de açúcar adicionado em cada 100g (ou seja, 8%). Estamos aqui a falar de 30%!!! E os bebés nem sequer deviam incluir açúcar na sua alimentação pelo menos até ao 1º ano de idade (idealmente até aos 3 anos).

Então que papas dar aos bebés? Papas caseiras! Com cereais de preferência integrais, adoçadas com fruta. São muito mais saudáveis, bastante mais baratas e acreditem, são muito fáceis de fazer. E quanto ao sabor? São ótimas!!! Posso dizer-vos que já não tenho bebés em casa e continuo a fazer estas papas para os meus filhos, sempre que eles me pedem. E, confesso, para mim também… 🙂

Quanto aos cereais a escolher podemos ir variando entre arroz, aveia, quinoa ou millet (são os que prefiro). As frutas que costumo usar, pelo seu sabor e consistência, são a banana, a maçã, a pera, a papaia, o dióspiro e a manga, mas podem escolher outras ao gosto do vosso bebé. Para dar mais sabor podemos ainda juntar canela, erva doce, coco ralado ou raspa de limão e à medida que os bebés fiquem mais crescidos também alfarroba, cacau e sementes diversas.

Estas papas tanto podem ser feitas com as farinhas dos cereais como também com os flocos ou os cereais inteiros (previamente cozidos), podendo depois ser trituradas para ajustar a consistência ao gosto e idade do bebé.

Hoje deixo a primeira receita desta saga de receitas de papas para bebés, uma maravilhosa papinha de aveia com maçã e erva doce, que pode ser dada aos bebés desde os 6 meses de idade. Para além do seu sabor suave, beneficia da ação calmante da erva doce no sistema digestivo, nomeadamente na redução das cólicas e da prisão de ventre, problemas muito comuns dos bebés.

Na impossibilidade de fazerem as papas em casa, aconselho comprarem as da marca Holle, que se vendem por exemplo no Celeiro. São biológicas e sem açúcar adicionado. Há algumas só de cereais, às quais podem depois juntar fruta para ficarem com um sabor mais agradável, e há outras já com fruta incluída. Mas não deixem de experimentar as papas caseiras, os vosso bebés agradecem! 🙂

     Versão 1: Papa com flocos e fruta inteira

                                                                                         Versão 2: Papa triturada para bebés mais pequenos

Continue reading

Bolachinhas de Natal

Muita gente diz que sou vegetariana ou vegan porque sigo um estilo de vida saudável e como regularmente pratos ou alimentos sem qualquer produto de origem animal. Na verdade não sou, adoro comida vegetariana/vegan, mas ainda consumo alguns alimentos derivados dos animais. Foi este o equilíbrio que encontrei para a minha alimentação e para a minha vida, nesta fase em que me encontro. Se alguma vez vou ver ser vegan? É possível, já que me identifico claramente com este estilo de vida, mas só o tempo o dirá… 🙂

Quem costuma passear aqui pelo meu cantinho já deve ter reparado que adoro replicar pratos ou iguarias tradicionais para a sua versão vegan. Gosto da sensação de inventar coisas diferentes e da curiosidade em experimentar e dar a experimentar o resultado. Por isso, quando vi o desafio Christmas Veggie Challenge decidi logo participar. Basicamente o que se pretende é mostrar pratos ou sobremesas tradicionais de Natal na sua versão vegan. Depois do Natal os vários blogs participantes irão partilhar a sua sugestão para este desafio, por isso estejam atentos! De certeza que vão aparecer muitas ideias de fazer crescer água na boca. 🙂

Hoje deixo-vos umas bolachinhas de Natal, também vegan, sem açúcar e sem glúten, como já vai sendo habitual. O resultado só podia ser tudo de bom… Experimentem e tenham um Natal muito feliz!!!

Continue reading

Pão de Sementes

Adoro alimentos nutricionalmente ricos… Daqueles que nos saciam apenas com pequenas quantidades. E as sementes encontram-se claramente neste grupo. Ricas em minerais, vitaminas, proteínas, fibra e gordura insaturada, as sementes ajudam na prevenção de doenças cardiovasculares, diabetes, obesidade e tantos outros problemas.

A variedade de sementes é imensa mas as minhas preferidas são as de cânhamo, chia, linhaça, abóbora e girassol (já falei em cada uma delas em particular em outros posts). Atualmente já não é um bicho de sete cabeças encontrar estes pequenos alimentos, estão à venda em qualquer supermercado. Podem ser usadas no iogurte, papas, bolos, pão ou bolachas, tornando-os mais nutritivos. E dão aquele toque crocante que eu adoro…

Claro que é importante lembrar que as sementes devem fazer parte de uma alimentação nutricionalmente completa, variada e equilibrada, para que seja possível aproveitar os seus benefícios (lá porque fazem bem não convém abusar). Eu não dispenso a minha porção diária ao pequeno-almoço e ao lanche.

E que tal experimentarmos um pão de sementes? Sem farinhas refinadas, sem glúten, sem açúcar, sem leite e sem ovos. É uma sugestão muito completa para qualquer lanche e é mesmo saboroso. Se gostam de sementes e frutos secos tostados, este pão é para vocês. Pode ser congelado em fatias e torrado, fica prefeito!

Apenas uma nota, não se assustem quando lerem na receita que leva sementes de psílio, sei que não é um ingrediente do conhecimento da maioria das pessoas. O psílio (ou psyllium husk) é uma fibra solúvel que quando misturada com água se transforma numa espécie de gel que vai dar a elasticidade necessária às massas sem glúten, sendo por isso essencial para o sucesso desta receita. Podem encontrar psílio à venda na maioria dos supermercados biológicos (eu compro no Amor Bio).

Continue reading

Bolo Simples de Aveia e Alfarroba

Se me pedissem para escolher quais os meus 5 alimentos preferidos, a aveia seria certamente um deles. Pelas suas propriedades nutricionais (de que já falei aqui) e pela sua versatilidade, a aveia é mesmo um alimento de que não prescindo. Em farinha, em flocos ou em grão, pode ser usada para fazer papas, barritas, bolos, bolachas, pão, grânola, panquecas, hambúrgueres, almôndegas (e a lista não acabaria por aqui). Mas o melhor de tudo é que a aveia me faz sentir bem, reconfortada, feliz…

Por isso o bolinho que vos trago hoje só podia ser tudo de bom. Para além de ter a super aveia, não tem ingredientes refinados, é adoçado apenas com fruta e é MUITO saboroso.  É um lanche excelente, para miúdos e graúdos, e não podia ser mais fácil de fazer. É só misturar tudo e já está! Não há mesmo desculpas para não se fazerem escolhas saudáveis…

Processed with VSCO

Processed with VSCO

Processed with VSCO

E os vossos alimentos preferidos, quais são?

Continue reading