Mini-Bolos Rei para o Natal

Não posso dizer que sou a maior fã do Natal… E só há bem pouco tempo me apercebi da razão. No meu imaginário, talvez influenciado pelos filmes que via desde criança, o Natal sempre foi sinónimo de casa cheia, união da família, muitas crianças, risos, alegria, afetos. E a minha realidade, fruto de ter pais separados e ser filha única até aos 14 anos, sempre foi bem diferente. Noite de natal para um lado, dia de Natal para o outro. Raramente tinha companhia de outras crianças. E portanto, o Natal a mim sabia-me sempre a separação (e alguma solidão). Nunca conseguia ter toda a gente de quem gostava perto. Para melhorar a situação tenho um marido também com pais separados e por isso atualmente a logística familiar na época natalícia consegue ser ainda mais complexa.  🙂

Mas tento transmitir a magia do natal aos meus filhos, o melhor que consigo. E não só nesta época mas todos os dias. Porque o Natal é aquilo que nós quisermos, quando quisermos…

Este ano aventurei-me no bolo rei para o meu Natal. Em versão mini… 🙂 São bem simples e rápidos de fazer, pois não necessitam de fermentar. Sem glúten nem açúcar adicionado, ficaram muito saborosos e cumpriram as minhas expetativas. Um miminho de mim para mim.

Que este Natal seja Amor, Partilha, União, Amizade, Tolerância, Respeito, Sorrisos, Abraços e Beijos. Que seja tudo aquilo que nos faz sentir bem e felizes.  

FELIZ NATAL!

Continue reading

Pão de Amêndoa, Alfarroba e Coco

Nos primeiros tempos de maternidade dediquei-me a 300% aos meus filhos. Toda a minha vida girava em torno deles, das suas rotinas e afazeres (acho que a maioria das mães se identifica com isto). Mas o tempo foi passando e comecei a sentir algumas repercursões negativas na minha saúde devido a este comportamento. Cansaço, falta de paciência, irritabilidade, ansiedade, entre outros problemas. Felizmente apercebi-me de que era preciso mudar e que essa mudança passava muito por cuidar de mim, reservar tempo para mim, fazer coisas que me dessem prazer. Passar tempo sozinha a ler, a passear, a meditar, ou simplesmente a SER (em vez de apenas FAZER). No fundo senti necessidade de ter um relacionamento mais profundo comigo. Porque se não nos relacionarmos connosco, nunca vamos ser felizes e não vamos conseguir dar o melhor de nós aos outros. E eu quero que os meus filhos (e as outras pessoas) tenham o melhor de mim, sempre!

Uma das coisas que eu gosto imenso e que faço regularmente é cozinhar para mim. Não é cozinhar para a casa, nem porque tem de ser. É cozinhar pelo simples ato de ME mimar e de fazer comida que EU gosto. Sem me preocupar se os miúdos vão torcer o nariz. E quando o produto final me agrada, também recebo elogios de mim mesma! Porque não? 🙂

Este pãozinho foi o resultado de um destes momentos meus… Estava cansada, depois de uma tarde em que a minha filha me brindou com algumas refilices e crises de mau feitio (as crianças também têm direito a dias menos bons). Barriquei-me na cozinha, liguei a minha vela aromática e comecei a terapia. Normalmente costumo seguir receitas mas desta vez segui apenas o instinto. Tinha resíduos de amêndoa no frigorífico (que tinham sobrado da preparação do meu leite) e achei que fazer um pão reconfortante seria uma boa ideia.

E foi… Ficou fantástico! Ligeiramente adocidado, fofinho e saboroso. Comi-o inteirinho, aos lanches, durante a semana.  Barrado com manteiga de amêndoa e com rodelas de banana por cima… 🙂 Aqui fica a receita deste pão de Amêndoa, Alfarroba e Coco (em que o ingrediente AMOR não consta da lista mas esteve muito presente). Espero que gostem. ❤❤❤

Continue reading

Trufas Cruas de Cenoura e Coco

O ser humano é feito de hábitos… E muitas vezes custa-nos a dar a volta a hábitos de infância que nos foram transmitidos pelos nossos pais ou avós. Ou pela própria sociedade. Eu sempre tive o (mau) hábito de comer um docinho depois das refeições. Desde criança que o almoço e o jantar terminavam com chá e bolinhos ou bolachas. Muitas vezes eram bolos caseiros feitos pela minha avó mas mesmo assim não deixavam de estar carregados de açúcar (bem branquinho, que na altura nem sequer se conhecia outro). TODOS os dias, a TODAS as refeições! Claro que o organismo se habituou e quando comecei a ganhar consciência da alimentação e a comer melhor, foi uma coisa que me custou a retirar.

A boa notícia é que tudo é possível, basta força de vontade. De início custa, parece que estamos sempre insatisfeitos. Mas depois acabamos por já nem pensar mais nisso. Lá está, o organismo habitua-se. Neste momento apenas como quando tenho fome e alimentos que sei que me vão fazer bem. Se estivermos atentos, vemos uma reação imediata no nosso corpo quando agimos desta forma. Sentimo-nos bem depois das refeições, leves e com energia.

Para os momentos em que está mesmo a apetecer uma coisa doce, o truque é escolher algo igualmente saboroso mas que seja saudável. Como é o caso destas trufas. Sou adepta de trufas e bolinhas energéticas. São super rápidas de fazer e muito saciantes. E têm aquele doce que nos faz elevar a boa-disposição. Claro que também devem ser consumidas com moderação (como tudo) pois normalmente têm um elevado valor calórico. Mas são a melhor opção para ter sempre no congelador e tirar quando a gula aperta.

Estas trufas cruas são frescas, ideais para o Verão. E ficaram bem bonitas… Experimentem!

Continue reading

Bolachas de Amêndoa e Coco

Eu era uma espécie de monstrinha das bolachas em criança… Adorava bolachas!!! Lembro-me de ter para aí uns 8 ou 9 anos e ir, em visita de estudo com a escola, à fábrica de bolachas da Nacional.  Vim de lá com um saco cheio de pacotes de bolachas, 1 de cada tipo que eles tinham na altura. E feliz da vida… Tão feliz que nunca mais me esqueci desse dia. 🙂

Ora a realidade mudou um pouco. Continuo a gostar (muito!) de bolachas mas tenho agora consciência dos erros cometidos na alimentação das crianças há uns anos atrás. As bolachas industriais não são de todo um alimento que eu deseje incluir na alimentação dos meus filhos numa base diária, não só pela quantidade de açúcar e aditivos que contêm mas também pela ausência de ingredientes que alimentem de verdade. Assim sendo, e tendo em casa dois pequenos monstros das bolachas (quem sai aos seus…), tenho que me safar de outra forma e fazer regularmente bolachinhas caseiras. Como normalmente o tempo é apertado, costumo inventar receitas rápidas, com poucos ingredientes, em que não precise de esticar com o rolo da massa. Estas bolachinhas foram a minha última invenção e saíram tão boas que foram devoradas num abrir e fechar de olhos. Até o M. que não é o maior apreciador de coco se rendeu ao seu sabor. E são mesmo fáceis de fazer: triturar, mexer, fazer bolinhas, achatar e já está! O forno termina o trabalho enquanto um cheirinho maravilhoso nos enche a casa de conforto.

Eu sei que estamos no verão mas bolachinhas destas são sempre bem-vindas, não é verdade? Experimentem!

Continue reading

Salame Paleo

Os meus filhos adoram salame… Bom, quem não gosta, certo?! 🙂 E nesta semana, que é das crianças, quis dar-lhes esse miminho.

A receita de salame que eu costumava fazer levava bolachas e eu não tinha em casa nenhumas que o M. pudesse comer (ele é intolerante ao trigo). Então pus-me a pesquisar até que bati os olhos nesta receita. “Ora nem mais, é isto mesmo!”, pensei.

O que vos posso dizer… Ficou ÓTIMO!!! Eles deliraram e estão sempre a pedir mais. Quem diz que as crianças são esquisitas??? Sem glúten, sem açúcar e sem processados, esta é uma sobremesa muito simples de fazer e que fica super saborosa.

Que tal fazerem para as vossas crianças? Depois dizem-me se foi aprovado?

Continue reading

40 e um Bolo de Cenoura

Diz o calendário que hoje estou de Parabéns… 🙂 E que já vão 40 anos desde o dia em que nasci.

E eu estou feliz… Porque gosto de fazer anos, porque gosto de recomeços. E sinto que a entrada nos “entas” é um recomeço que vai trazer muitas mudanças positivas na minha vida. Não tenho medo da idade nem de envelhecer, desde que o faça com qualidade. E sei que isso depende muito do estilo de vida, das minhas emoções, da forma como alimento o corpo e a mente. Quero envelhecer bem, aceitando verdadeiramente cada coisa que me acontece. Porque envelhecer faz parte da vida… Só tenho de agradecer, aos meus pais e ao universo, pela oportunidade que me deram para estar aqui e ter esta experiência maravilhosa.

Em jeito de comemoração, deixo-vos um bolo muito simples que fiz para este dia especial. Abri o livro da Ella Woodward (“As Delícias de Ella”) e dei de caras com um bolo de cenoura com uma aspeto fantástico. Adoro bolos de cenoura e este, que junta ananás, cobertura de caramelo de banana e não usa fermento, aguçou-me a curiosidade. Fiz um bolo grande hoje para o lanche (que ainda não abri) e um pequenino – só para mim! – que foi devorado ontem. E que bom que ficou… (já não preciso de dizer que não tem glúten nem açúcar e que é saudável, certo?) 🙂

 

Continue reading

Bombons de Caramelo… e uma Páscoa Feliz!

A Páscoa pede chocolates, já se sabe… E por isso hoje temos uma receita bem docinha! 🙂

Quem conhece o chocolate Snickers de caramelo e amendoim? Eu adorava em miúda! Como encontrei uma receita saudável desta maravilha corri a experimentar. E surpresa? Adorei ainda mais!!!

Estes bombons não têm leite, nem açúcar adicionado, nem ingredientes artificiais. O exterior é de chocolate negro e o interior tem duas camadas: uma crocante, de tâmaras e amêndoa, que liga na perfeição com o caramelo de manteiga de amêndoa, aromatizado com baunilha e ligeiramente salgado (sim, as pedrinhas de sal são o segredo da originalidade destes bombons!). O resultado é uma combinação maravilhosa de sabores e sensações. E o melhor de tudo? Podem ser comidos sem culpa (com alguma moderação, claro!).

Vou de certeza repetir esta receita, até porque os meus miúdos ficaram fãs! 🙂

Uma Páscoa muito feliz!

Continue reading

Panquecas Simples

Desde que eliminei o glúten da minha alimentação que tenho comido muito menos pão. É uma evolução natural, acho… Porque o pão (saudável) sem glúten não se encontra facilmente à venda e quando se encontra é bastante caro, não podendo ser uma alternativa para todos os dias, pelo menos nas quantidades a que eu estava habituada. O que até tem sido bom, sinto-me bastante bem comendo menos pão, fiquei com a barriga mais lisa e sem sensações de inchaço abdominal.

Ainda faço pão sem glúten em casa mas encontrei nas panquecas uma excelente alternativa ao pão para o pequeno-almoço. De vez em quando inovo e experimento receitas de panquecas ligeiramente diferentes e mais complexas, mas para o dia-a-dia preciso de uma coisa simples, que se faça rapidamente e que não use varinha mágica ou liquidificador. Depois de várias experiências cheguei a esta receita de panquecas que me enche as medidas. Ficam fofinhas e com um sabor muito agradável. Costumo acompanhá-las com manteiga de amêndoa, uma dupla imbatível!

Normalmente faço em quantidade ao fim de semana e depois congelo. É muito prático e as panquecas ficam ótimas na mesma. Quando quero comer tiro de véspera e aqueço ligeiramente no micro-ondas. Uma ótima sugestão para as crianças, a princesa da casa é fã e está sempre a pedir-me estas panquecas! 🙂

Continue reading

Bolinhos de Coco e Alfarroba

Gosto de variar na alimentação e não comer sempre a mesma coisa. É bem mais saudável e muito menos aborrecido (porque a alimentação também é um prazer, certo?). Claro que com os miúdos também sigo esta regra… Às refeições principais não repito, no mesmo dia, o mesmo tipo de proteína ou hidrato de carbono e os lanchinhos semanais são, normalmente, diferentes todos os dias. Se me dá mais trabalho? Sem dúvida que sim! Mas gosto de o encarar como um desafio! 🙂

Por isso, para o dia-a-dia tento sempre escolher receitas simples, que não envolvam muitos procedimentos nem listas infindáveis de ingredientes. Normalmente ao fim de semana faço o plano alimentar semanal e procuro cozinhar em quantidade para já ter algum trabalho avançado para os dias de semana.

Faço muito este tipo de bolinhos para os lanches da escola (podem ver outros do género aqui). São saudáveis, alimentam e os miúdos adoram! E a preparação é do mais fácil que há: triturar, misturar e levar ao forno. Podemos ir variando nas frutas e nas farinhas, juntar ou não ovo (para versões vegan) e mudar sabores (nesta receita usei alfarroba mas também pode ser cacau, canela, erva doce ou baunilha). Receita com sucesso garantido! 🙂

Continue reading

Pão Naan sem Glúten

Já devem estar a pensar: “Pronto, lá vem ela outra vez com a comida indiana!” 🙂 . Pois é, tenho de vos confessar uma coisa. Uma das minhas grandes tristezas quando deixei de consumir glúten foi abdicar do maravilhoso Naan sempre que vou a um restaurante indiano. Simplesmente ADOOOORO!!! Também há outros tipos de pão indiano, alguns feitos com farinha de grão ou lentilhas, que eu posso comer e até gosto… Mas nada me substitui o “meu” Naan.

Ora tinha de conseguir replicar esse pão fininho e saboroso numa versão sem glúten… E se assim o pensei, em boa hora o fiz. A minha versão de Naan sem glúten ficou bem boa! Não se assemelha na totalidade ao Naan dos restaurantes indianos, eu acho que eles devem ter segredos que não desvendam (nunca consegui fazer um arroz basmati igual!), mas mesmo assim foi uma experiência de sucesso que me deu para “matar saudades” da versão original. Ainda por cima este é mais saudável e faz-se num instante. O que mais se pode querer? Não deixem de experimentar, é uma boa alternativa ao pão comum, pois é leve e não leva fermento. É ótimo simples, mas também fica maravilhoso com manteigas de frutos secos, com paté de tofu ou com hummus de grão.

Continue reading