Sobre o Exercício Físico: A Minha História e Algumas Sugestões

Hoje não vou falar de alimentação mas sim de outra coisa também essencial para termos saúde: o exercício físico.

Acho que já toda a gente conhece os principais benefícios da prática regular de exercício físico, mas não custa avivar a memória aos mais esquecidos:

– Ajuda a diminuir e controlar o peso
– Diminui o risco de doenças no coração, hipertensão, osteoporose e diabetes
– Melhora os níveis de colesterol
– Aumenta a resistência muscular
– Dá mais flexibilidade
– Gera energia e bem-estar
– Combate o stress, a ansiedade e a insónia

É mesmo importante realizarmos qualquer atividade física, fora das atividades normais do dia-a-dia. Pode parecer um contrasenso mas se estamos cansados depois de um dia de trabalho,
nada melhor do que nos mexermos para recuperamos a energia e a boa-disposição. Por vezes não é fácil, eu bem sei… Sobretudo para aquelas pessoas, nas quais eu me incluo, que não têm uma aptidão natural para as atividades desportivas. Já em pequena era notório que o desporto não era o meu forte, não sei se porque não recebi grande incentivo dos meus pais para a prática, ou se já é mesmo uma característica minha. A verdade é que a minha história desportiva na infância se resume a um mês na natação do Benfica lá para os 8 anos (a água não é decididamente o meu elemento). Invejava as minhas colegas da escola que sabiam jogar tudo e mais alguma coisa, e que o faziam bem. Tive a sorte (ou o azar) da minha escola preparatória
não ter pavilhão desportivo e por isso nem tive disciplina de Educação Física entre o 5º e o 9º ano. Daí para a frente safei-me com um 11 ou 12 a Educação Física, com muitos pedidos ao professor para não jogar Volei ou Basquet e ficar a fazer exercícios de ginástica. Sempre era um bocadinho melhor… A partir da adolescência, devido a problemas de coluna, fui “obrigada” a regressar à natação, e a atividade só não foi mais penosa porque convenci umas amigas a virem comigo.

Em adulta comecei a querer fazer mais desporto, talvez com a consciência de que é essencial para a saúde. Andei em vários ginásios, fiz várias atividades diferentes, o que foi bom para testar a minha capacidade física e perceber o que realmente gosto de fazer. No ano passado experimentei algumas aulas de cross fit e treino funcional na praia, o ambiente era muito giro e motivava bastante mas era demais para mim. Nessas noites em que treinava até me custava a adormecer tal tinha sido o esforço… Por isso acabei por me voltar para a atividade com que mais me identifiquei e que, para mim, faz mais sentido no momento em que me encontro, o Yoga. Vou para as aulas sempre com vontade, sinto-me muito bem quando pratico, sobretudo por ser uma atividade que exercita corpo e mente. Saio dorida mas renovada e com uma atitude mais positiva.

yoga

E esse é mesmo o segredo para não desistirmos… Encontrarmos alguma atividade que nos preencha, que gostemos de realizar e que nos faça feliz. Não há sofá ou poltrona que consiga vencer isso… 🙂

Deixo algumas sugestões de exercícios simples, económicos e compatíveis com a agenda de qualquer pessoa:

– Saltar à corda (ou simplesmento dar saltinhos no mesmo lugar): Excelente para o sistema cardiovascular e um “boost” de energia instantâneo
– Subir escadas: Muito bom para tonificar a zona dos glúteos
– Dançar: é 2 em 1, alia o exercício à diversão
– Seguir aulas no YouTube ou jogar em consolas (Wii, por exemplo): Resulta com pessoas focadas, que não precisem do incentivo de um coach ou grupo
– Fazer caminhadas em passo acelerado: ideal para principiantes ou para quem não gosta de correr