Slow Living

Não estou de férias nem nada que se pareça, como podem estar a pensar pelo título do post. 🙂
Pelo contrário, estas últimas semanas têm sido intensas e bastante preenchidas. O final das aulas dos miúdos, com as festas, apresentações e audições que lhe estão associadas, o aniversário da minha pequenita (e a festa com a criançada toda em casa), a preparação do meu workshop (que foi hoje de manhã), mais o trabalho que tem de ficar em ordem antes de ir realmente de férias.

Mesmo com todas estas coisas, tenho-me sentido bastante bem. Acho que percebi finalmente que consigo viver em modo “Slow Living” (ou viver devagar, se preferirem). Durante muito tempo achei que esta postura não era para mim. Como posso viver devagar e com calma se há tanto para fazer? Isso stressava-me… Felizmente acho que se deu um “click” em mim e tomei consciência de que o que interessa é o modo como encaramos as coisas. Não nos focarmos no quanto temos para fazer, apenas na forma como o fazemos. Que deve ser com consciência do momento presente, com entrega, intensidade e paixão. Observando mais, estando mais presente para os outros, cuidando mais e melhor de nós.

                                                                                                                                         As minhas manhãs “Slow Living”

Mas se o tempo não estica, como é isto possível? Com prioridades e organização. Tudo se resume em definir o que é, para nós, importante, e em organizarmo-nos para o cumprir. E eu decididamente estabeleci as minhas prioridades. Posso dizer que é libertadora a sensação de que “afinal consigo”. Até tenho acordado antes do despertador tocar, cheia de vontade de aproveitar o que a vida me reservou para esse dia. Claro que por vezes acontece voltar ao modo “minutos contados” (não vou mentir) mas tendo esta consciência, muito mas facilmente regresso ao ritmo mais “Slow“.

Vamos parar de viver no passado ou no futuro, em stress, só a pensar na lista infindável de coisas que deviam ter sido feitas ou que estão ainda por fazer? Apenas o presente conta e se vivermos para o momento, está tudo certo…

PS: Já fez 5 anos, a minha menina. Não consigo perceber como passou tão depressa… Ainda a consigo sentir bebé, ao meu colo… Ainda me lembro como se fosse ontem do 1º sorriso, da 1ª papa, do 1º dente, do 1º passo, da 1ª palavra. Agora está enorme! Linda, curiosa, malandra, esperta, perspicaz. É vaidosa e não podia ser mais menina, adora cor-de-rosa, brilhantes e vestidos. Tem uma personalidade forte, que só vê quem a conhece bem. É muito sensitiva, percebe logo quando estou nervosa, quando estou triste. Desafia-me constantemente para melhorar.  Obrigada princesa, por tudo!  ❤️❤️❤️

                                    A mãe babada tinha de pôr uma foto da sua bebé. 🙂 Com 6 meses, saudades…