Ouvir o nosso Corpo

O melhor conselho que posso dar em relação à alimentação é  “Oiçam o vosso corpo, ele diz-vos sempre qual a melhor opção”. Há mil e uma teorias alimentares, mil e uma dietas diferentes, mil e uma opiniões… Tanta coisa que uma pessoa chega a ficar baralhada sem saber o que comer. Não há um estilo alimentar certo para cada um de nós, simplesmente porque todos somos diferentes.

Claro que há regras mais ou menos gerais para uma alimentação saudável, tais como não abusar das gorduras, do sal, do açúcar, evitar os alimentos refinados e processados, diversificar o mais possível e beber bastante água. Mas a partir daí cada um deve escolher os alimentos com os quais se sente bem. Devemos experimentar várias opções e analisar a resposta do nosso corpo ao que lhe oferecemos, não só em qualidade como também em quantidade.

Eu percebi que me sinto bem e feliz com uma alimentação maioritariamente vegetariana, com muita fruta, legumes, saladas, grãos integrais e sementes. Percebi qual a quantidade exata que preciso de comer em cada refeição, para não ficar com a sensação desagradável de “estar cheia”. Percebi também que sou bastante sensível ao glúten e que deverei moderar o seu consumo. Sofro bastante de inchaço e dores abdominais, normalmente sempre à mesma altura do dia. Começei a fazer um dia por semana sem glúten, para experimentar. E não é que nesses dias, como que por magia, não tenho dores e me sinto muito bem? Não há melhor prova do que a resposta do nosso corpo. Nem mesmo aqueles testes de intolerâncias alimentares que estão agora na moda.O nosso corpo é sábio e dá-nos todas as informações. Só é preciso saber (e querer) escutá-lo…

Capture

Deixo um exercício de auto-conhecimento bastante simples e engraçado de fazer.

Durante uma semana tomem pequenos-almoços sempre diferentes. Anotem em cada dia o que comeram e como se sentiram logo após terminarem de comer e duas horas depois.

Por exemplo:

Dia 1 – Papa de aveia com banana e canela
Dia 2 – Galão e torrada
Dia 3 – Bolo de pastelaria e café
Dia 4 – Batido de fruta e sementes
Dia 5 – Ovos mexidos com tostas e sumo de laranja
Dia 6 – Cereais de pequeno-almoço com leite
Dia 7 – Iogurte de soja com fruta e muesli

(Estes são só alguns exemplos, nem todos saudáveis… 🙂 )

Nem sempre estamos sintonizados com o nosso corpo e este exercício vai fazer-nos ir nessa direção. Podem também alargar a experiência a outras refeições ou até a hábitos diários. Por exemplo, durante 1 semana comer mais verduras ou beber mais água. Quando a resposta a determinado alimento ou hábito é positiva automaticamente sentimo-nos com mais energia, mais bem dispostos, com melhor aparência e até com pensamentos mais positivos. Sentimo-nos mais felizes.

Alinham nesta experiência?

Um Natal muito FELIZ!