Os Superalimentos

Os superalimentos parece que vieram para ficar… Já devem ter reparado nestes alimentos de que tanto se fala ultimamente. Pode parecer que são recentes, uma modernice dos nossos tempos, mas a verdade é que estes pequenos tesouros já existem há milhares de anos e já eram usados pelas civilizações ancestrais. No entanto, só mais recentemente é que foram divulgados e trazidos dos seus países de origem.

Os superalimentos são alimentos com um elevado teor de nutrientes benefícios para a saúde. São ricos em vitaminas, minerais, proteínas, ácidos gordos essenciais e como tal basta uma pequena quantidade diária para suprir as necessidades do organismo. Por esta razão parece que têm super poderes… 🙂

superfoods

Estes alimentos são geralmente naturais e devem ser consumidos crus para preservar as suas propriedades. Já aqui falei de alguns deles como a chia, a linhaça, o pólen, o cânhamo e o açaí mas a lista é ainda mais longa. Vou apenas detalhar outros que experimentei e que também consumo regularmente por sentir que me fazem bem e que me ajudam a suprir certas necessidades específicas.

Clorela: Alga microscópica muito nutritiva. Rica em clorofila, ajuda a limpar o organismo de metais pesados e substâncias tóxicas. Fortalece o sistema imunitário e o sistema cardiovascular, contribui para a manutenção dos tecidos atrasando o envelhecimento, ajuda a equilibrar o pH do sangue e na redução do peso, entre muitos outros benefícios. Esta alga contém igualmente proteínas com uma proporção equilibrada de aminoácidos (incluindo oito aminoácidos essenciais), vitaminas, minerais, enzimas e fibra.

Spirulina: Alga microscópica rica em proteínas, sendo a sua relação em aminoácidos bastante equilibrada. Contém também importantes ácidos gordos polinsaturados, vitaminas do complexo B, C, A, D, E e K. Ao nível dos minerais, é rica em potássio, cálcio, cobre, ferro, fósforo e magnésio. O principal benefício nutricional é o potente efeito antioxidante.

Costumo consumir a clorela e a spirulina em duas alturas diferentes do dia, vou alternando entre elas. Em jejum, adicionando uma colher de chá à minha água morna com limão. Ao jantar, misturando uma colher de chá na sopa, já no prato. Para mim o sabor da clorela é mas agradável e na sopa quase nem se nota. A spirulina tem um sabor bastante mais forte mas é uma questão de hábito.

Bagas Goji: A goji é uma fruta originária das montanhas do Tibete. É normalmente consumida desidratada, ou seja, em forma de bagas. Estas bagas são ricas em antioxidantes e uma excelente fonte de proteína com 18 aminoácidos diferentes, entre os quais estão os oito essenciais. Contêm ainda minerais como zinco, ferro, cobre, cálcio, selénio e fósforo e vitaminas B1, B2, B6 e E. Apresentam benefícios na prevenção de doenças cardiovasculares e inflamatórias, fortalecendo o sistema imunitário, e têm um grande efeito anti-envelhecimento. Podem ser consumidas como passas em saladas, batidos, papas, iogurte, bolachas e pães.

Cacau Cru: O cacau é a forma crua e não processada do chocolate, sem adição de açúcar. O cacau em pó contém menos gordura e mais fibra e proteína, quando comparado com os grãos. Forte em antioxidantes e magnésio, confere protecção contra os radicais livres, fornece energia, boa disposição e promove a saúde muscular. Costumo usar para fazer bolachas ou como topping em papas e iogurtes.

Maca: A raiz da Maca, planta cultivada no Peru, dá origem a um pó com imensos benefícios nutricionais. Regulador do sistema endócrino, este alimento aumenta os níveis de energia, regula o stress, promove a saúde mental e tem poder afrodisíaco. É vantajoso para pessoas com uma vida muito ativa. Pode ser adicionado a papas, iogurtes, sumos ou batidos.

A incorporação destes alimentos na alimentação diária traz, no geral,  imensos benefícios à saúde mas cada pessoa deve escolher aqueles que mais se adequam às necessidades do seu organismo.  E claro, como em tudo, nada de exageros. Os superalimentos são alimentos muito concentrados e devem por isso ser consumidos com moderação, como parte de uma dieta diversificada e equilibrada. Aconselho a lerem sempre as embalagens e a respeitarem as quantidades diárias aconselhadas.