Propósito de Vida

Estamos no fim do ano (já?)… E a retrospectiva é inevitável.  2017 foi para mim um ano intenso. Um ano de mudanças interiores, de dúvidas, de surpresas. Um ano em que concretizei um dos meus maiores sonhos, fazer um retiro na Índia. Um ano que me aproximou de pessoas maravilhosas. Um ano em que descobri muito sobre mim e em que pus muitas coisas em causa, como mãe, como mulher, como pessoa. Terá sido a entrada nos 40? Não sei…

Uma das coisas que me apercebi este ano foi que “stressamos” demasiado com isto de encontrarmos o nosso propósito de vida.  Foram várias as pessoas com quem falei e que me confessaram esta tristeza… “Ainda não sei qual é a minha vocação”, “Não sei muito bem o que vim aqui fazer”, “Não consigo encontrar um rumo para a minha vida”. Estas duvidas são especialmente intensas nesta altura de fim de ano em que somos levados a fazer uma avaliação do ano que passou e a estabelecer objetivos para o ano que se avizinha.

Eu sentia que tinha encontrado a minha missão, fazer o health coaching e ajudar as pessoas a descobrirem a sua felicidade. E estava confortável com isso. Mas percebi durante este ano que não é este o meu propósito. Talvez seja o que gosto de fazer, o que me preenche, o que me faz acordar com um sorriso nos lábios todos os dias, mas não é a minha missão. Porque uma missão de vida não pode ser uma coisa externa a nós próprios, não pode ser algo que não dependa exclusivamente da nossa pessoa. Uma missão nada tem a ver com o que fazemos. Mas com o que somos. E eu descobri que a minha missão se resumia a uma única palavra: Despertar!  Despertar para mim, para o que sou verdadeiramente, para um estado mais elevado de consciência. Descobrir quem sou e aprender a amar-me como sou. Perdoar-me, aceitar-me, nutrir-me, elogiar-me. E saber regressar a mim sempre que sentir que me estou a desviar do caminho. Tão simples quanto isto…

Pensando desta forma está sempre tudo certo. Mesmo que o trabalho corra mal, mesmo que não consiga atingir aquilo que esperava, tenho sempre o porto seguro onde ancorar. E essa confiança tem gerado harmonia e paz na minha vida. E tem-me libertado do peso de não conseguir satisfazer as expetativas, minhas e dos outros. Não será também este o vosso propósito?

Vou começar este ano de 2018 com um único objetivo: viver um dia de cada vez, dando sempre o melhor de mim.

Que o vosso ano de 2018 seja mágico, pleno de luz, amor e gratidão.
E obrigada por estarem desse lado! 

Aproveitar Agosto para Parar…

O Agosto para mim é um mês de balanços, de paragem, de recomeço… É o fim de uma etapa e o início de uma nova. Que se espera sempre melhor…

Apesar de raramente ter férias em Agosto, aproveito a cidade mais vazia e em modo relax para fazer as coisas com mais calma e ter tempo para parar, pensar no ano que passou, no que poderia ter feito e não fiz, planeio o que gostaria de fazer nos próximos tempos. Faço mudanças em casa, arrumo coisas, deito fora o lixo que se acumula, dou coisas que já não uso.

Sunshine
(Foto tirada em Cascais, num momento de paragem em Agosto do ano passado)

Continue reading

De regresso…

As férias foram ótimas… Entre Odeceixe e o Meco, foram duas semanas para recarregar baterias. Com praia e campo, muitos banhos de piscina, sestas à sombrinha, amigos novos e o mais importante, com tempo para nós. Portugal é lindo, a costa alentejana tem lugares magníficos, já tinha saudades… Claro que me nos excedemos na alimentação (perco-me por doces e gelados), mas as férias são também para isso, para fazer o que normalmente não fazemos no dia-a-dia. Os excessos foram compensados com papas saudáveis ao pequeno-almoço e com almoços leves: muita fruta, saladas e sandes variadas (o pão alentejano é fantástico!). Matei saudades da comida vegetariana num restaurante que descobri em Odeceixe (Chaparro Natura), o estufado de legumes com papas de milho, figos e manjericão estava ótimo, os miúdos deliciaram-se com uma bolonhesa de soja.

Venham mais dias assim… Deixo-vos um cheirinho com estas fotos.

IMG_20150821_4    IMG_20150821_3

DSCN0533_    DSCN0564_

Continue reading