Dicas Para Melhorar a Digestão

Hoje em dia são muitas as pessoas que se queixam de digestões longas e difíceis. As causas são várias: quantidades exageradas de comida, gordura/açúcares em demasia, refeições tomadas a correr ou a trabalhar, entre outras. É preciso ouvir o nosso corpo e perceber que se estamos a ter determinado sintoma é porque algo não está bem. Tomar o comprimidinho efervescente depois das refeições não é solução…

Processed with VSCO

Deixo 10 dicas que costumo seguir e que ajudam neste problema:

1. Comer devagar: A mastigação é a 1ª fase da digestão e é mais importante do que se pensa. Devido às enzimas presentes na saliva, os alimentos começam já a ser processados na boca (dizem que cada garfada deve ser mastigada pelo menos 100 vezes!). Comer rápido vai fazer com que os alimentos sigam para o trato digestivo em pedaços muito grandes, o que vai dar mais trabalho aos outros orgãos envolvidos na digestão. Para além disso o cérebro só envia a mensagem de saciedade após 20 minutos do início da refeição, por isso comer devagar também contribui para comer menos e ter mais energia.

2. Não beber líquidos à refeição: Beber enquanto se come dificulta a digestão e enche o espaço que poderia ser ocupado com comida.

3. Comer em pequenas quantidades de cada vez e em várias refeições ao longo do dia: Comer grandes porções de cada vez vai atrasar bastante a digestão e originar a sensação desagradável de enfartamento.

3. Começar a refeição com vegetais, de preferência crus: o processo digestivo é bastante complexo e se este começar com alimentos crus o esforço da digestão é progressivo e esta faz-se mais facilmente.

4. Beber 1 copo de água morna ao acordar, idealmente com umas gotas de sumo de limão: a água morna vai acordar o organismo da melhor forma depois do período noturno, ao mesmo tempo que hidrata o organismo. O limão ajuda na limpeza e na desintoxicação, tem uma ação antioxidante e protetora.

Continue reading

O Poder Dos Medicamentos Naturais

A primavera chegou… E eu sou um bocadinho mais feliz por sentir os dias de calor mais próximos. Adoro o bom tempo, os dias cheios de luz, que duram até tarde…

Mas como as estações já não são o que eram, já sei que o calor ainda vai demorar a chegar. Ainda há muitas constipações e gripes por aí, inclusive aqui em casa (primeiro inverno em que a princesa anda na escola, já se sabe).

Não gosto de abusar dos medicamentos. Hoje em dia, por tudo e por nada, são receitados antibióticos, paracetamois, ibuprofenos… Com este excesso de utilização os medicamentos vão perdendo o efeito desejado, deixando de ser eficazes quando são realmente necessários. As inflamações são, nada mais nada menos, do que uma reação benéfica do organismo, indicam que o sistema imunológico está a combater os micróbios que o atacaram. Reduzir a inflamação com um químico faz diminuir os sintomas mas nem sempre colabora na cura.

O nosso corpo tem a capacidade de se curar a si próprio, só temos de lhe dar condições para isso. “Sopas e descanso”, já diziam os nossos avós… E é bem verdade. O descanso, a boa alimentação e a hidratação, seriam suficientes para ajudar no processo de cura. O problema é que atualmente ninguém tem tempo para ficar em casa a recuperar. O ritmo de vida exigente que levamos não nos permite cuidar de nós, da forma mais correta. Lembro-me de quando era pequena e ficava com gripe, os meus pais não me deixavam sair da cama e muito menos do quarto. Ficava resguardada, em descanso, até ficar melhor. Acho que esse bom hábito se perdeu, já ninguém faz isso…

Existem alimentos considerados verdadeiros medicamentos naturais, que podem ajudar no combate às infeções. Aqui deixo alguns deles:

Alho: Antibacteriano natural. Para beneficiarmos das suas propriedades o ideal é ser consumido cru.

Equinácea: Antibiótico natural, a equinácea ajuda a combater bactérias, vírus, fungos e outros micróbios causadores de doenças. Reforça o sistema imunológico. Pode ser tomada como prevenção ou em situações agudas, em intervalos frequentes. Encontra-se à venda sob a forma de cápsulas nas farmácias e lojas de produtos naturais.

Gengibre: Antibiótico, anti-inflamatório, acalma o sistema digestivo, a dor de cabeça e as enxaquecas, estimula o sistema imunológico e alivia os sintomas de inflamação. Tem uma ação anti-séptica no organismo. Pode ser consumido fresco, ou sob a forma de pó. Visto ser um alimento termogénico, deve ser consumido com precaução por pessoas com tensão alta.

Açafrão (ou curcuma): É quase um anti “todos os males”. Tem propriedades anti-tumorais, antioxidantes, antiartríticas, anti-inflamatórias, antivirais, antibacterianas, antifúngicas. Pode ser usado na alimentação e em infusões.

Limão: Bactericida e antioxidante, já falei dos seus benefícios Aqui e Aqui. Pode ser usado na alimentação e em chás/infusões.

Mel: Tem acção anti-séptica. Reduz a inflamação, em especial da garganta.

Se quiserem um poderoso elixir para combater gripes, constipações e reforçar a imunidade, aqui fica uma sugestão usando alguns destes ingredientes:

Chá de Limão, Gengibre e Açafrão (2 pessoas)

– 1 pedaço de gengibre fresco cortado em rodelas (cerca de 3 cm)
– 1 colh. de chá de açafrão em pó
– Sumo de 1 limão
– 2 colh. de sopa de mel (ou a gosto)
– 500 ml de água

1. Ferver a água e adicionar todos os ingredientes
2. Misturar bem, cobrir e deixar repousar por 5 minutos antes de beber

Processed with VSCO

Continue reading

Sobre o Exercício Físico: A Minha História e Algumas Sugestões

Hoje não vou falar de alimentação mas sim de outra coisa também essencial para termos saúde: o exercício físico.

Acho que já toda a gente conhece os principais benefícios da prática regular de exercício físico, mas não custa avivar a memória aos mais esquecidos:

– Ajuda a diminuir e controlar o peso
– Diminui o risco de doenças no coração, hipertensão, osteoporose e diabetes
– Melhora os níveis de colesterol
– Aumenta a resistência muscular
– Dá mais flexibilidade
– Gera energia e bem-estar
– Combate o stress, a ansiedade e a insónia

É mesmo importante realizarmos qualquer atividade física, fora das atividades normais do dia-a-dia. Pode parecer um contrasenso mas se estamos cansados depois de um dia de trabalho,
nada melhor do que nos mexermos para recuperamos a energia e a boa-disposição. Por vezes não é fácil, eu bem sei… Sobretudo para aquelas pessoas, nas quais eu me incluo, que não têm uma aptidão natural para as atividades desportivas. Já em pequena era notório que o desporto não era o meu forte, não sei se porque não recebi grande incentivo dos meus pais para a prática, ou se já é mesmo uma característica minha. A verdade é que a minha história desportiva na infância se resume a um mês na natação do Benfica lá para os 8 anos (a água não é decididamente o meu elemento). Invejava as minhas colegas da escola que sabiam jogar tudo e mais alguma coisa, e que o faziam bem. Tive a sorte (ou o azar) da minha escola preparatória
não ter pavilhão desportivo e por isso nem tive disciplina de Educação Física entre o 5º e o 9º ano. Daí para a frente safei-me com um 11 ou 12 a Educação Física, com muitos pedidos ao professor para não jogar Volei ou Basquet e ficar a fazer exercícios de ginástica. Sempre era um bocadinho melhor… A partir da adolescência, devido a problemas de coluna, fui “obrigada” a regressar à natação, e a atividade só não foi mais penosa porque convenci umas amigas a virem comigo.

Em adulta comecei a querer fazer mais desporto, talvez com a consciência de que é essencial para a saúde. Andei em vários ginásios, fiz várias atividades diferentes, o que foi bom para testar a minha capacidade física e perceber o que realmente gosto de fazer. No ano passado experimentei algumas aulas de cross fit e treino funcional na praia, o ambiente era muito giro e motivava bastante mas era demais para mim. Nessas noites em que treinava até me custava a adormecer tal tinha sido o esforço… Por isso acabei por me voltar para a atividade com que mais me identifiquei e que, para mim, faz mais sentido no momento em que me encontro, o Yoga. Vou para as aulas sempre com vontade, sinto-me muito bem quando pratico, sobretudo por ser uma atividade que exercita corpo e mente. Saio dorida mas renovada e com uma atitude mais positiva.

yoga

Continue reading

8 Coisas Simples que Podemos Fazer pelo Ambiente (e por Nós)

É engraçado como o caminho da alimentação saudável (e consciente) nos leva também a ter uma maior preocupação com o ambiente e com a diminuição da nossa pegada ecológica (já aqui tinha falado sobre isto). Talvez porque passamos a ter mais consciência que não vivemos isolados, que fazemos parte de um todo, que só podemos ser felizes quando tudo à nossa volta estiver em harmonia.

Inconscientemente tento que todas as minhas ações diárias não prejudiquem o ambiente, os animais, as pessoas, o planeta. É tão comum acharmos que as nossas atitudes isoladas não ajudam muito, mas é exatamente o contrário. Coisas simples que podemos fazer no dia-a-dia fazem TODA a diferença.

earth_day_graphics_131

Continue reading

Aproveitar Agosto para Parar…

O Agosto para mim é um mês de balanços, de paragem, de recomeço… É o fim de uma etapa e o início de uma nova. Que se espera sempre melhor…

Apesar de raramente ter férias em Agosto, aproveito a cidade mais vazia e em modo relax para fazer as coisas com mais calma e ter tempo para parar, pensar no ano que passou, no que poderia ter feito e não fiz, planeio o que gostaria de fazer nos próximos tempos. Faço mudanças em casa, arrumo coisas, deito fora o lixo que se acumula, dou coisas que já não uso.

Sunshine
(Foto tirada em Cascais, num momento de paragem em Agosto do ano passado)

Continue reading

Dia Mundial da Luta contra o Cancro

Em nome do dia de hoje apenas quero deixar umas palavras. Sabiam que apenas 5% dos cancros são de origem genética? Todos os restantes casos têm causas relacionadas com a alimentação, estilo de vida e pensamentos/emoções. Todas estas causas estão interligadas, não é só uma boa alimentação que faz a diferença, é preciso mudar a nossa maneira de pensar, de reagir, de viver. Nós podemos ter uma grande parte ativa na prevenção desta doença. Não é fácil, mas é possível. Deixo os princípios que considero importantes, para termos saúde, para estarmos bem connosco e com os outros, para sermos mais felizes…

– Ter uma alimentação saudável
– Fazer exercício físico
– Sorrir muito, todos os dias
– Agradecer tudo o que temos
– Afastar maus pensamentos, negativismos, raivas e rancores
– Ter respeito por todas pessoas, animais, plantas
– Dedicar 5 minutos do dia a nós próprios para respirar fundo e meditar (ideal logo de manhã)

Vamos tentar?

SejaFeliz