“Cheesecake” de Manga

É uma das minhas frutas preferidas, a manga. Quando era pequena não gostava, dizia que sabia a sabonete. 🙂 Só mais tarde percebi que isso acontecia porque provavelmente comia sempre mangas que ainda não estavam maduras. E uma manga bem madurinha, é aquela maravilha… Como os meus filhotes também adoram, decidi inventar uma sobremesa crua que usasse manga e eis o resultado. Um fantástico “cheesecake” de manga, sem açúcar e rico em proteína, devido ao uso do tofu. Confesso-vos que não estava esperançada com o resultado, porque não sei bem escolher mangas e a que comprei ainda não estava no ponto, mas posso dizer-vos que os miúdos ADORARAM! Ou seja, é decididamente uma sobremesa a repetir, para a próxima com uma manga um pouco mais docinha. Nestes dias mais quentes, sabe mesmo bem uma sobremesa assim, crua, fresquinha, cheia de sabor…

E já agora deixo-vos, como curiosidade, alguns dos benefícios da manga para a nossa saúde:

– Fonte de antioxidantes
– Alcalina
– Rica em fibra
– Rica em vitaminas (A, C, E e B6)
– Rica em ferro e potássio

Por tudo isto a manga é anticancerígena, melhora a digestão, impulsiona o sistema imunológico, promove a diminuição do colesterol mau, melhora a saúde da pele, melhora o humor e ajuda a controlar o stress. Muito bom, certo?

Continue reading

Salada de Couve Kale Massajada

Vou confessar uma coisa, sempre gostei de mexer nos alimentos com as mãos enquanto estou a cozinhar. Sinto que ao tocar diretamente nos alimentos lhes passo a minha energia e os torno, de certa forma, num bocadinho de mim. E acredito que esta energia é sentida por quem depois come o que preparei. Acho que a comida até vai “cair” melhor… 🙂

Ora quando aprendi esta técnica culinária no meu curso não podia ter ficado mais contente. Massajar os alimentos, que vos parece? Passei a aplicá-la muitas vezes com as couves, para fazer saladas como esta que vos trago hoje. Para além do benefício ligeiramente esotérico que referi em cima (que podem acreditar ou não), massajar uma couve tem também a vantagem de torná–la mais macia, menos fibrosa e mais facilmente digerível. E, a meu ver, bem mais saborosa… Sem cozinhar, a couve murcha, fica com uma textura mais suave mas com um sabor mais vivo. As minhas couves preferidas para aplicar esta “massagem” são a kale e a roxa.

Sabiam que a couve kale é um alimento maravilhoso? Rica em ferro (mais do que a carne), em cálcio (mais do que o leite) e em vitaminas A, C e K, a couve kale é um alimento com uma elevada densidade nutricional e que ajuda a fortalecer os ossos, estimular o sistema imunitário e equilibrar o sistema nervoso.Para além disso, tem ação antioxidante, anti-inflamatória e desintoxicante. O seu sabor não é tão acentuado como o da maioria das couves, pelo que é uma boa opção para quem não é muito adepto destes legumes. Pode ser consumida em saladas mas também em sumos, sob a forma de chips (mais uma perdição recente minha que vos tenho de contar num outro post!), salteada ou usada na sopa.

Hoje em dia já podem encontrar facilmente couve kale nos mercados biológicos, no Celeiro e até em muitos supermercados.

Podem fazer esta salada de kale massajada juntando os legumes que mais gostarem, fica sempre muito boa. Uma opção bem agradável e fresquinha para estes dias quentes…

Continue reading

Pãezinhos de Mandioca e Chia

Descobri recentemente a mandioca… e como eu adoro descobrir alimentos novos!!! 🙂 .
Já usava produtos derivados da mandioca, como o polvilho e a tapioca, mas nunca me tinha lembrado de comprar mandioca e consumi-la assim, por si só. A mandioca é uma raíz rica em hidratos de carbono de absorção lenta, sendo por isso um alimento que fornece bastante energia, muito útil para desportistas ou em regimes de perda de peso (pois sacia bastante). Rica em vitamina B9 (ácido fólico), vitamina C, potássio e fibra, a mandioca é antioxidante, anti-inflamatória, ajuda na construção dos tecidos, protege o coração e a pele. E não tem glúten!!! Bem bom, portanto…

Ora experimentei a mandioca e estou fã! Tem um sabor adocicado agradável e é bastante versátil, podendo ser consumida cozida, assada, em puré ou usada na confeção de pães e bolos. É uma boa alternativa à batata doce.

Testei este novo alimento para fazer pão e gostei muito do resultado. Engraçado como já não me apetece assim tanto comer o pão tradicional (logo eu que era completamente viciada em pão!).  Desde que deixei o glúten e o fermento, satisfaço-me perfeitamente com estes pãezinhos caseiros, que me enchem verdadeiramente as medidas. De início parece que nada vai conseguir substituir o pão tradicional, mas sinceramente, agora já não quero outra coisa. O pão caseiro que faço, simples, sem fermentar, faz-me sentir mais leve e igualmente saciada. Também são muito bons os pães de fermentação natural e prolongada, como se fazia antigamente (sim, esse era o verdadeiro pão), mas ainda não me iniciei nessas técnicas. Quem sabe um dia… 🙂

Esta receita é muito simples, não deixem de experimentar.

Dicas para preparar a mandioca:

1. Com uma faca afiada cortar a mandioca ao meio e depois cortar cada uma das partes no sentido do comprimento.Pão
2. Retirar a casca e a fibra grossa do meio.
3. Colocar os pedaços de mandioca em água a ferver com uma pitada de sal e deixar cozer até que fique macia (cerca de 20 minutos).

Continue reading

Mindful Eating

Hoje em dia vivemos a um ritmo demasiado acelerado… Queremos fazer tudo para ontem, encaixar mil e uma coisas na nossa agenda e, como o tempo não estica, acabamos por tomar as refeições à pressa, muitas vezes de pé, a fazer outra coisa qualquer.

Não sou isenta de culpa, de vez em quando lá me acontece o mesmo, mas esforço-me para que seja mesmo só muito de vez em quando. Em primeiro lugar pelos efeitos negativos que isso traz para a saúde: problemas digestivos como úlceras e refluxo, má assimilação de nutrientes, obesidade, etc. A hormona da saciedade só é libertada no organismo 20 minutos depois do início da refeição, pelo que comer muito rápido não nos permite ter a sensação de que já estamos satisfeitos e acabamos por ingerir mais do que devíamos.

Por outro lado porque, para mim, comer é muito mais do que enfiar alimentos pela boca abaixo e saciar a fome. Gosto de encarar o ato de comer como uma atividade algo espiritual (que me perdoem os mais céticos nestas coisas 🙂 ). Porque, ao comer, alimento as minhas células, construo o meu ADN, estimulo os meus sentidos e de certa forma fico mais ligada a mim própria.

Por isso defendo o Mindful Eating (ou traduzido para a nossa língua, o Comer Consciente). Comer devagar, mastigando bem os alimentos, sentindo o seu cheiro, sabor, textura, pensando de onde vieram e que energia me vão transmitir. E agradecendo sempre, internamente, no início de cada refeição. Não é fácil ter sempre esta postura, sobretudo porque as refeições normalmente enquadram-se num contexto social e são partilhadas com outras pessoas (e ainda bem que assim é!). Mas tento reservar algumas refeições do dia para comer sozinha (normalmente o pequeno-almoço) e praticar o meu Mindful Eating. Desta forma, estas atitudes começam a estar enraizadas em mim e acabam por surgir espontâneamente noutras ocasiões, sem que tenha de fazer qualquer esforço. Durante o meu retiro na Índia fizémos um dia de silêncio, nunca tinha experimentado e foi maravilhoso. Foi uma excelente altura para consolidar o Mindful Eating, já que não podíamos mesmo falar. 🙂

Continue reading

Puré de Abóbora Hokkaido com Laranja e Gengibre

Decididamente os homens não foram feitos para andarem às compras… 🙂  Pedi ao homem da casa para me ir comprar abóbora fatiada ao Celeiro. Chegou com uma abóbora hokkaido enorme que custou os olhos da cara. “Ah, não havia da outra, trouxe esta…” Levou um raspanete, claro! Mas depois até lhe agradeci porque nem sempre compro abóbora hokkaido, por não ser muito acessível, e assim fui “obrigada” a inventar alguns pratos com este pequena maravilha. Adoro mesmo abóbora hokkaido, tem um sabor mais suave e doce do que a comum abóbora menina que costumamos usar para a sopa. É um alimento muito usado na cozinha macrobiótica pelas suas excelentes propriedades nutritivas, sendo rico em vitaminas A e B9, pró-vitamina A (caroteno), aminoácidos, zinco e outros minerais.

Esta foi uma das iguarias que fiz, um puré de abóbora hokkaido com laranja e gengibre. Qualquer palavra que use para descrever este puré não lhe faz o devido jus, ficou tão mas tão bom… É um acompanhamento excelente, diferente e muito saudável. Eu fiquei mega fã!

Continue reading

Sobre o Health Coaching

Já podem ter reparado que aqui o meu cantinho virtual sofreu uma mudança. Deixou de ser apenas um blog de receitas e dicas de vida saudável (o meu diário de experiências culinárias e não só) e passou a estar também dedicado a divulgar o meu novo percurso de vida, o Health Coaching.

Mas afinal o que vem a ser isto? Passo a explicar tim-tim por tim-tim. 🙂

Sou engenheira de formação. Não sei muito bem porquê, o meu pai é engenheiro, o meu avô era engenheiro, eu sempre gostei de matemática, pareceu-me a escolha (racional) óbvia na altura. Mas no fundo sempre soube que não era a minha missão.

Iniciei este percurso da alimentação saudável por acaso… Depois cheguei à conclusão que não foi assim tão por acaso, o destino sabe o que faz. Devido a este meu caminho tornei-me mais feliz, ajudei-me a mim mesma, pude ajudar o meu filho (que descobrimos ter intolerâncias alimentares que lhe originaram um problema de saúde), iniciei o blog e descobri o que realmente gosto de fazer na vida: Ajudar as outras pessoas a serem mais felizes também.

Muita gente me dizia “devias tirar um curso de nutrição”… Tinha realmente vontade de aprofundar os meus conhecimentos amadores, baseados apenas no que ia estudando, pesquisando e experimentando, mas um curso de nutrição nunca me chamou. Parecia que faltava alguma coisa… Um dia, já não sei bem como, descobri o curso de Health Coaching do Institute for Integrative Nutrition e senti instantaneamente que era por ali que devia seguir (eu que até sou ponderada e não tomo decisões por impulso).

Agora, depois de terminado o curso, sei que não podia ter feito melhor escolha. Aprendi imenso, sobre alimentos e estilos alimentares, sobre saúde, sobre relações pessoais, sobre motivação, sobre espiritualidade, sobre a vida no geral. Sobre como todas as coisas se interligam e resultam em conjunto… Não podemos ser felizes se não estivermos em total equilíbrio e é isso que pretendo ajudar as pessoas a atingir. O seu equilíbrio!

Se tiverem interesse visitem a secção Health Coaching para saberem mais sobre os objetivos deste programa.  Eu vou continuando a deixar as minhas receitas e dicas saudáveis aqui no blog, como sempre. 🙂

Pudim de Tofu, Beringela e Alho Francês

Defendo uma alimentação variada e equilibrada. Hoje em dia já não sabemos bem o que comemos, está tudo alterado e cheiro de químicos, por isso com esta postura alimentar conseguimos “diversificar os venenos”. Menos mau, portanto… 🙂

Não sou muito adepta da soja nem dos seus derivados. A soja é um alimento rico em proteína vegetal mas o seu consumo excessivo pode levar a problemas digestivos, alérgicos, dificuldade de assimilação de nutrientes, pode influenciar negativamente as funções da tiróide e até originar distúrbios hormonais (sobretudo em crianças). Já para não falar que grande parte da soja que temos à nossa disposição é transgénica (pelo menos 75%). A proteína de soja é de evitar, uma vez que é processada a altas temperaturas até ficar texturizada, perdendo grande parte do valor nutricional e ganhando níveis elevados de substâncias cancerígenas.

Atualmente consumo soja apenas na sua forma fermentada e não numa base diária: iogurtes, tofu, miso, shoyu e tamari são os meus produtos preferidos. O processo de fermentação faz com que as toxinas da soja sejam neutralizadas e, para além disso, geram-se bactérias benéficas à flora intestinal. Como curiosidade, e ao contrário do que se possa pensar, os orientais não consomem muita soja e quando o fazem, restringem-se aos produtos fermentados e em pequenas quantidades (o grão de soja serve apenas para a agricultura com o intuito de fertilizar terrenos).

Quando a vontade de comer tofu aperta (adoro tofu pela sua suavidade e versatilidade), dou por mim a tentar descobrir novas formas de cozinhar este alimento. E raramente me desiludo… Desta vez experimentei um pudim de tofu no forno, enriquecido pela maravilhosa beringela que é um dos meus legumes de eleição. E ficou tão bom!!! Experimentem…  depois dizem-me o que acharam? 🙂

Continue reading

A Minha Rotina Matinal

A maioria das pessoas acorda em cima da hora (muitas vezes já depois da hora), toma banho à pressa e sai a correr de casa, sem mesmo tomar o pequeno-almoço. Fazer isto diariamente cansa o corpo, desgasta a mente e mais cedo ou mais tarde os efeitos deste comportamento começam a fazer-se sentir.

Adotar uma rotina matinal é das melhores coisas que podemos fazer pela nossa saúde. Eu prefiro acordar um bocadinho mais cedo mas ter algum tempo só para mim. Para me mimar e fazer as coisas que me dão prazer. Para tomar um bom pequeno-almoço, em casa, com calma. Para me ouvir, saber o que quero para esse dia, que objetivos vou estabelecer…. Porque cada dia é um recomeço, é uma nova oportunidade de mudarmos o que não está bem, de sermos melhores e mais felizes.

E desculpas do género “Ah! Não tenho tempo para isso!” não são válidas! Temos sempre tempo, é tudo uma questão de prioridades. Eu também tenho uma vida ocupada, entre o trabalho, a casa, os meus 2 filhos e tudo o que envolve viver numa cidade grande nos dias de hoje. Mas cheguei à conclusão que cuidar de mim e sentir-me bem é essencial. Só posso estar bem para os outros se primeiro estiver bem comigo própria.

Esta é a rotina que sigo e que faz sentido para mim, de momento. Foi sendo ajustada a pouco e pouco, posso dizer que há alguns anos atrás não fazia nada disto, era mesmo só banho e pequeno-almoço (esses nunca consegui dispensar).

– Acordar: ao dia de semana com a música do despertador, ao fim de semana com a luz do sol a entar no quarto (ou de vez em quando com o barulho dos filhotes 🙂 ).
– Ainda deitada, faço alguns exercícios de alongamento e contração de pernas, braços, mãos e dedos, enquanto desperto.
– Sentada na borda da cama, faço umas respirações completas, normalmente o esquema de respirações 4-7-8 de que já falei aqui.
– Invoco os 5 príncípios do Reiki, faço uma curta introspeção e agradeço o dia que começa.
– Levanto-me e faço 3 posturas de Yoga, boas para a saúde da nossa coluna: uma retroflexão, uma anteflexão e uma torção.
– Vou à cozinha e tomo o meu copo de água morna com limão (ver os benefício neste post).
– Cuidados pessoais: banho, dentes, hidratação da pele e 30 segundos a sorrir para o espelho (faz milagres, acreditem!).
– Pequeno-almoço: Preparo a minha maravilhosa papa de aveia (ao dia de semana) ou o meu smoothie na taça (ao fim de semana), normalmente com umas panquecas. Como sentada, em silêncio, enquanto olho pela janela e estabeleço as minhas intenções para o dia. Muitas vezes também leio algumas linhas de um livro que me inspire.

Com tudo isto não demoro mais do que 1 hora. E sinto-me pronta para enfrentar da melhor maneira o dia que começa.

A minha sugestão: Com o tempo que tiverem (tanto podem sem 30 minutos como 3 horas), criem as vossas rotinas matinais de conforto e bem-estar, que mais se identifiquem com a vossa maneira de ser. Porque cada pessoa é única… E acreditem que a vossa disposição vai mudar muito (para melhor) e o vosso dia se vai desenrolar de uma maneira completamente diferente.

Alguém que já tenha rotinas matinais e queira partilhar? 🙂

Batido de Vitamina C para o Inverno

Nesta época do Carnaval o tempo costuma ser traiçoeiro. Durante o dia está um sol já morno mas as noites ainda estão frias. O cenário ideal para se apanhar uma gripe ou constipação. Mas nada como nos protegermos com um super batido rico em Vitamina C. Os alimentos são sempre os melhores remédios… 🙂

Como curiosidade, que a vitamina C é muito importante para a nossa imunidade acho que já toda a gente sabe. Mas esta vitamina tem também outros benefícios, bem importantes por sinal. Tem função antioxidante, ajudando a prevenir ataques de coração e a diminuir o risco de cancro. Ajuda a manter um metabolismo saudável, a curar feridas e a promover uma sensação de bem-estar. Também é uma boa aliada na beleza uma vez que é essencial na produção de colagénio e elastina, ajudando a manter uma pele firme e bonita. A vitamina C é também muito útil pois ajuda o organismo a absorver o ferro, pelo que alimentos ricos neste mineral devem ser
consumidos em conjunto com alimentos que contenham vitamina C.

Quais os alimentos com maior teor de vitamina C? Frutas e vegetais, em especial: Citrinos, morango, kiwi, ananás, meloa, banana, papaia, tomate, brócolos, cenoura, pimento, batata-doce, salsa, couve. É importante lembrar que, no caso dos vegetais, se estes forem cozinhados em água, vais-se perder a vitamina C (que é uma vitamina hidrosolúvel). A melhor opção é mesmo cozer a vapor.

Este batido é um verdadeiro exigir para a saúde e bem-estar. Para além de ser rico em vitamina C, é muito saboroso e faz-nos sentir mesmo bem. Recomendo vivamente nesta época de inverno.

Continue reading

Os Benefícios da Meditação: A minha Experiência

A alimentação é muito importante para termos saúde e sermos felizes mas não é, de longe, a única coisa importante. Não conseguimos ser felizes se trabalharmos em algo que não gostamos, não conseguimos ser felizes se tivermos problemas nos nossos relacionamentos, não conseguimos ser felizes se não nos conhecermos, verdadeiramente.

É por esta última razão que considero a meditação uma ferramenta maravilhosa. É essencial para o nosso auto-conhecimento pois ao meditarmos integramos o “Eu” interior com o “Eu” exterior e passamos a usar o nosso corpo para agir de acordo com o que sentimos. Tornamo-nos mais calmos, focados, conscientes, confiantes.

A meditação plena permite-nos desenvolver a nossa espiritualidade (não confundir com religião pois nada têm a ver), porque leva ao despertar da nossa consciência e nos faz ver que existe muito mais do que o mundo físico. Como diz a Rute Caldeira no seu livro “Liberta-te de Pensamentos Tóxicos” (que eu recomendo vivamente): ” A meditação é a minha porta de ligação ao Universo”. Não podia estar mais de acordo.

Mas os benefícios da meditação vão muito além do campo pessoal e espiritual, estudos recentes têm provado que a meditação é também muito benéfica em termos físicos, nomeadamente em casos de depressão, ansiedade, stress, distúrbios alimentares ou vícios. Para além disso a meditação ajuda a melhorar a saúde das nossas células, a equilibrar hormonas, a reduzir a pressão arterial e a retardar o envelhecimento. De facto, tem-se mostrado que o cérebro se altera e desenvolve após algum tempo de prática meditativa.

Comecei a meditar diariamente por volta de Maio do ano passado. Sobretudo de início não foi fácil (ainda não o é por vezes) porque sou uma pessoa muito ativa, com a cabeça sempre a mil à hora, a transbordar de ideias. A lista das compras, os menus para o jantar, as combinações dos miúdos insistiam em não me largar… Por vezes chegava a passar todo o tempo em que meditava a pensar nessas coisas do dia-a-dia. Mas com o tempo e a prática fui interiorizando, fui aprendendo a deixar ir esses pensamento e a concentrar-me apenas em mim e no momento presente, no que estou a sentir. Porque meditar não é mais do que isso, é um exercício de foco e concentração e nada tem a ver com “não pensar absolutamente em nada”. Podemos deixar os pensamentos fluir ao mesmo tempo que estamos focados nas sensações do nosso corpo, em especial na respiração. E é nessas alturas que a meditação nos dá as respostas que precisamos, nos mostra o caminho a seguir. Posso dizer que atualmente é o momento do meu dia que mais aprecio, já não consigo passar sem ele. É o MEU momento.

Continue reading