40 e um Bolo de Cenoura

Diz o calendário que hoje estou de Parabéns… 🙂 E que já vão 40 anos desde o dia em que nasci.

E eu estou feliz… Porque gosto de fazer anos, porque gosto de recomeços. E sinto que a entrada nos “entas” é um recomeço que vai trazer muitas mudanças positivas na minha vida. Não tenho medo da idade nem de envelhecer, desde que o faça com qualidade. E sei que isso depende muito do estilo de vida, das minhas emoções, da forma como alimento o corpo e a mente. Quero envelhecer bem, aceitando verdadeiramente cada coisa que me acontece. Porque envelhecer faz parte da vida… Só tenho de agradecer, aos meus pais e ao universo, pela oportunidade que me deram para estar aqui e ter esta experiência maravilhosa.

Em jeito de comemoração, deixo-vos um bolo muito simples que fiz para este dia especial. Abri o livro da Ella Woodward (“As Delícias de Ella”) e dei de caras com um bolo de cenoura com uma aspeto fantástico. Adoro bolos de cenoura e este, que junta ananás, cobertura de caramelo de banana e não usa fermento, aguçou-me a curiosidade. Fiz um bolo grande hoje para o lanche (que ainda não abri) e um pequenino – só para mim! – que foi devorado ontem. E que bom que ficou… (já não preciso de dizer que não tem glúten nem açúcar e que é saudável, certo?) 🙂

 

Continue reading

Puré de Abóbora Hokkaido com Laranja e Gengibre

Decididamente os homens não foram feitos para andarem às compras… 🙂  Pedi ao homem da casa para me ir comprar abóbora fatiada ao Celeiro. Chegou com uma abóbora hokkaido enorme que custou os olhos da cara. “Ah, não havia da outra, trouxe esta…” Levou um raspanete, claro! Mas depois até lhe agradeci porque nem sempre compro abóbora hokkaido, por não ser muito acessível, e assim fui “obrigada” a inventar alguns pratos com este pequena maravilha. Adoro mesmo abóbora hokkaido, tem um sabor mais suave e doce do que a comum abóbora menina que costumamos usar para a sopa. É um alimento muito usado na cozinha macrobiótica pelas suas excelentes propriedades nutritivas, sendo rico em vitaminas A e B9, pró-vitamina A (caroteno), aminoácidos, zinco e outros minerais.

Esta foi uma das iguarias que fiz, um puré de abóbora hokkaido com laranja e gengibre. Qualquer palavra que use para descrever este puré não lhe faz o devido jus, ficou tão mas tão bom… É um acompanhamento excelente, diferente e muito saudável. Eu fiquei mega fã!

Continue reading

Tarte de Maçã para o dia da Mãe

Hoje é dia da Mãe… Que para mim (e acho que para todas as mães) é todos os dias! Mas como hoje é comemorado oficialmente, aqui deixo um grande beijinho à minha mãe e a todas as mães do mundo. ❤️

Ser mãe foi a melhor coisa que me aconteceu. Mas nem sempre tive esta noção tão clara, passei momentos conturbados em que cheguei a duvidar se teria capacidade para o ser. Foi preciso uma tomada de consciência para eu perceber que as dificuldades que estava a sentir tinham uma razão: fazer-me descobrir quem sou e evoluir. Ser mãe permitiu-me iniciar o meu caminho de desenvolvimento pessoal, abriu-me os olhos para mudar o que não estava bem em mim, permitiu-me descobrir a minha missão neste mundo. E por isso só tenho a agradecer aos meus filhos que, ao me desafiarem diariamente, com a suas personalidades tão diferentes, conseguem mostrar-me sempre por onde devo seguir.

Deixando agora os desabafos de lado… 🙂  Hoje trago-vos uma maravilhosa tarte de maçã, que pode ser comida por toda a família, bebés, miúdos e graúdos. É muito simples, rápida de fazer e
tão saborosa. E já nem preciso de dizer que não tem leite, açúcar ou farinhas refinadas, certo? Uma alternativa muito saudável aos bolos comprados e processados. Cá em casa somos todos
fãs, o que se prova pela velocidade com que a tarte desaparece. 🙂 Eu adoro comê-la ao lanche, morna, com iogurte e fruta fresca. Consegui abrir-vos o apetite? Então experimentem! Ainda vão a tempo de fazer para o lanche!

Feliz Dia da Mãe!!!

Continue reading

Sobre o Health Coaching

Já podem ter reparado que aqui o meu cantinho virtual sofreu uma mudança. Deixou de ser apenas um blog de receitas e dicas de vida saudável (o meu diário de experiências culinárias e não só) e passou a estar também dedicado a divulgar o meu novo percurso de vida, o Health Coaching.

Mas afinal o que vem a ser isto? Passo a explicar tim-tim por tim-tim. 🙂

Sou engenheira de formação. Não sei muito bem porquê, o meu pai é engenheiro, o meu avô era engenheiro, eu sempre gostei de matemática, pareceu-me a escolha (racional) óbvia na altura. Mas no fundo sempre soube que não era a minha missão.

Iniciei este percurso da alimentação saudável por acaso… Depois cheguei à conclusão que não foi assim tão por acaso, o destino sabe o que faz. Devido a este meu caminho tornei-me mais feliz, ajudei-me a mim mesma, pude ajudar o meu filho (que descobrimos ter intolerâncias alimentares que lhe originaram um problema de saúde), iniciei o blog e descobri o que realmente gosto de fazer na vida: Ajudar as outras pessoas a serem mais felizes também.

Muita gente me dizia “devias tirar um curso de nutrição”… Tinha realmente vontade de aprofundar os meus conhecimentos amadores, baseados apenas no que ia estudando, pesquisando e experimentando, mas um curso de nutrição nunca me chamou. Parecia que faltava alguma coisa… Um dia, já não sei bem como, descobri o curso de Health Coaching do Institute for Integrative Nutrition e senti instantaneamente que era por ali que devia seguir (eu que até sou ponderada e não tomo decisões por impulso).

Agora, depois de terminado o curso, sei que não podia ter feito melhor escolha. Aprendi imenso, sobre alimentos e estilos alimentares, sobre saúde, sobre relações pessoais, sobre motivação, sobre espiritualidade, sobre a vida no geral. Sobre como todas as coisas se interligam e resultam em conjunto… Não podemos ser felizes se não estivermos em total equilíbrio e é isso que pretendo ajudar as pessoas a atingir. O seu equilíbrio!

Se tiverem interesse visitem a secção Health Coaching para saberem mais sobre os objetivos deste programa.  Eu vou continuando a deixar as minhas receitas e dicas saudáveis aqui no blog, como sempre. 🙂

Pudim de Tofu, Beringela e Alho Francês

Defendo uma alimentação variada e equilibrada. Hoje em dia já não sabemos bem o que comemos, está tudo alterado e cheiro de químicos, por isso com esta postura alimentar conseguimos “diversificar os venenos”. Menos mau, portanto… 🙂

Não sou muito adepta da soja nem dos seus derivados. A soja é um alimento rico em proteína vegetal mas o seu consumo excessivo pode levar a problemas digestivos, alérgicos, dificuldade de assimilação de nutrientes, pode influenciar negativamente as funções da tiróide e até originar distúrbios hormonais (sobretudo em crianças). Já para não falar que grande parte da soja que temos à nossa disposição é transgénica (pelo menos 75%). A proteína de soja é de evitar, uma vez que é processada a altas temperaturas até ficar texturizada, perdendo grande parte do valor nutricional e ganhando níveis elevados de substâncias cancerígenas.

Atualmente consumo soja apenas na sua forma fermentada e não numa base diária: iogurtes, tofu, miso, shoyu e tamari são os meus produtos preferidos. O processo de fermentação faz com que as toxinas da soja sejam neutralizadas e, para além disso, geram-se bactérias benéficas à flora intestinal. Como curiosidade, e ao contrário do que se possa pensar, os orientais não consomem muita soja e quando o fazem, restringem-se aos produtos fermentados e em pequenas quantidades (o grão de soja serve apenas para a agricultura com o intuito de fertilizar terrenos).

Quando a vontade de comer tofu aperta (adoro tofu pela sua suavidade e versatilidade), dou por mim a tentar descobrir novas formas de cozinhar este alimento. E raramente me desiludo… Desta vez experimentei um pudim de tofu no forno, enriquecido pela maravilhosa beringela que é um dos meus legumes de eleição. E ficou tão bom!!! Experimentem…  depois dizem-me o que acharam? 🙂

Continue reading

Bombons de Caramelo… e uma Páscoa Feliz!

A Páscoa pede chocolates, já se sabe… E por isso hoje temos uma receita bem docinha! 🙂

Quem conhece o chocolate Snickers de caramelo e amendoim? Eu adorava em miúda! Como encontrei uma receita saudável desta maravilha corri a experimentar. E surpresa? Adorei ainda mais!!!

Estes bombons não têm leite, nem açúcar adicionado, nem ingredientes artificiais. O exterior é de chocolate negro e o interior tem duas camadas: uma crocante, de tâmaras e amêndoa, que liga na perfeição com o caramelo de manteiga de amêndoa, aromatizado com baunilha e ligeiramente salgado (sim, as pedrinhas de sal são o segredo da originalidade destes bombons!). O resultado é uma combinação maravilhosa de sabores e sensações. E o melhor de tudo? Podem ser comidos sem culpa (com alguma moderação, claro!).

Vou de certeza repetir esta receita, até porque os meus miúdos ficaram fãs! 🙂

Uma Páscoa muito feliz!

Continue reading

Panquecas Simples

Desde que eliminei o glúten da minha alimentação que tenho comido muito menos pão. É uma evolução natural, acho… Porque o pão (saudável) sem glúten não se encontra facilmente à venda e quando se encontra é bastante caro, não podendo ser uma alternativa para todos os dias, pelo menos nas quantidades a que eu estava habituada. O que até tem sido bom, sinto-me bastante bem comendo menos pão, fiquei com a barriga mais lisa e sem sensações de inchaço abdominal.

Ainda faço pão sem glúten em casa mas encontrei nas panquecas uma excelente alternativa ao pão para o pequeno-almoço. De vez em quando inovo e experimento receitas de panquecas ligeiramente diferentes e mais complexas, mas para o dia-a-dia preciso de uma coisa simples, que se faça rapidamente e que não use varinha mágica ou liquidificador. Depois de várias experiências cheguei a esta receita de panquecas que me enche as medidas. Ficam fofinhas e com um sabor muito agradável. Costumo acompanhá-las com manteiga de amêndoa, uma dupla imbatível!

Normalmente faço em quantidade ao fim de semana e depois congelo. É muito prático e as panquecas ficam ótimas na mesma. Quando quero comer tiro de véspera e aqueço ligeiramente no micro-ondas. Uma ótima sugestão para as crianças, a princesa da casa é fã e está sempre a pedir-me estas panquecas! 🙂

Continue reading

O Meu Regresso… e um Caldo de Vegetais Doces

Estou de regresso de uma viagem à Índia onde estive num retiro de Mindfulness no Feminino. Como posso resumir a experiência? Maravilhosa, transformadora, inesquecível… Visitei lugares mágicos, com uma energia muito especial que só um país como a Índia consegue transmitir. Conheci pessoas lindas, fiz amizades que eu espero ficarem para o resto da vida. Foi uma viagem essencialmente interior, em que saí da minha zona de conforto, em que descobri coisas sobre mim que não conhecia, em que vi mais claramente o que quero para o meu futuro e para a minha vida.

O retiro tinha como base a prática de Meditação mas também houve aulas de Yoga ao amanhecer, passeios a templos e locais sagrados, visitas a escolas e projetos inspiradores e até uma aula de culinária indiana (que eu adorei, claro!). Deixo-vos aqui uma cheirinho do que foram estes dias muito especiais…

Em passeio pelo Mercado de Tiruvannamalai

Annamalaiyar Temple em Tiruvannamalai

A Montanha Sagrada Arunachala (nem acredito que consegui subir lá acima)

As ruas

Massas coloridas à venda no mercado (não, não são gomas!)

Mercado de Tiruvannamalai

Matrimandir em Auroville

Em relação à alimentação, o balanço é no geral positivo (apesar do picante, que me desafiava diariamente). Tive sorte porque a zona para onde fui é vegetariana e por isso os pratos eram muito baseados em vegetais e leguminosas (que eu adoro). Em alguns locais onde ficámos a comida estava algo ocidentalizada, por isso sei que não passámos por uma experiência 100% indiana. Mas ainda bem, porque comer noodles com molhos picantes todos os dias ao pequeno-almoço poderia ter sido traumatizante. Continuo a gostar muito de comida indiana mas posso dizer que vim com muitas saudades de pratos tipicamente portugueses. 🙂

O arroz vermelho era uma maravilha!

O que cozinhámos na aula de culinária

Mais do que cozinhámos

Masala Chai, um Chá Indiano de Especiarias com Leite

As bananas indianas (super saborosas!)

Este era tão picante!!!

Continue reading

Sonhos…

Sonhar e acreditar realmente nos nossos sonhos é o primeiro passo para as coisas acontecerem. Acredito plenamente nisto.

Eu sou uma sonhadora incurável, tenho imensos planos e coisas que gostava de fazer, tudo anotado num caderninho para os tornar mais reais. Acho que precisava de imensas vidas para conseguir fazer tudo!  Mas cada coisa acontece sempre no tempo certo, sei disso…

Isto tudo para dizer que vou ausentar-me durante duas semanas porque vou concretizar um dos meus sonhos. Um sonho que eu pensava não se ir realizar já mas surgiu a oportunidade e eu não a deixei escapar. Volto cheia de novidades e receitas diferentes! 🙂

Papas para Bebés (Parte 2): Papa de Quinoa com Papaia

Hoje vou continuar com as papinhas para bebés… Já vos deixei uma papa muito simples de aveia com maçã, desta vez decidi ser mais ousada e usar a quinoa. 🙂

Já falei aqui dos inúmeros benefícios da quinoa, mas acho que muita gente não sabe que também os bebés desde os 8 meses podem usufruir deste pseudo-cereal maravilhoso. Os bebés só têm a ganhar se começarem desde cedo a habituar-se a diferentes sabores e texturas, infelizmente hoje em dia a alimentação infantil é pouco diversificada e em relação aos cereais, baseia-se muito no trigo, arroz e pouco mais.

Esta papinha tanto pode ser feita triturando a quinoa, para bebés mais pequenos, como usando a quinoa inteira, o que é ideal para os bebés que se estão a habituar a texturas maiores. Para a fruta escolhi a papaia, por ser tão benéfica para o sistema digestivo. Mas esta papinha resulta muito bem também com manga ou mesmo com uma mistura das duas frutas.

E se estão a pensar que é difícil de fazer enganam-se! Basta cozer a quinoa e triturar… Não têm desculpas para não experimentarem. O vosso bebé agradece! 🙂

NOTA: Adultos não se sintam excluídos, podem também comer esta papa, é deliciosa. Juntem alguns toppings ao vosso gosto para um sabor extra (eu juntei amêndoas, coco ralado, lascas de coco e baunilha, ficou MESMO boa!).

Continue reading